2 de jun de 2013

a dor e a felicidade

A dor no peito aperta de qualquer jeito, sufoca torto a direito.
Que direito?
Direito de chorar,
de chiar,
direito de gritar,
de querer matar todo esse sentimento ruim que me corrói.
Que dói,
que faz engrandecer minha raiva por nada,
por tudo,
a cada segundo.
Sem pensar, to aqui,
procurando a felicidade dentro de mim,
felicidade essa que se foi,
ou esta indo,
se arrancando lento como um carro de boi.
Só peço que pare,
que me largue,
que me deixe,
que me jogue.
Já que eu só não dou conta, confio em ti este dar de conta, pois meu coração não já agüenta nem tanta dor, nem tanta tormenta, nessa qual eu me escorraço feito um palhaço no fim do espetáculo todo estraçalhado

5 de mar de 2013

Mais do mesmo.

O mesmo amor de antes, eu sinto.
A mesma dor de sempre, eu sinto.
Posso não ser a mais inteligente, a que sabe várias línguas, lê livros e filmes cults.
Mas infelizmente eu sou aquela que te ama, que sofre calada a cada vez que sente e vê que seu futuro não é ao meu lado. 
Talvez hora ou outra isso passe, mas é o maior impasse da minha vida. Não gostaria de passar mais por isso, não gostaria de te amar mais.

"Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence o vencedor,
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade;
Se tão contrário a si é o mesmo amor?"

Perverso


Hoje está sendo um dia particularmente difícil. Muito difícil de encarar.
Em breve faz um ano e a dor não passa, não para. Nada dá certo.
Sou dessas que se afunda de amor, que é louca pra se inundar disso que o mundo todo corre atrás.
Mas acho que correr atrás de algo que não anda querendo ser seu, é perda de tempo.
É?
Eu amo um cara que já foi amado e já amou, talvez ninguém na vida vá conseguir suprir o que ele sente falta, eu realmente gostaria que fosse eu, mas talvez nem eu e nem o amor todo que eu guardo tenha sido, ou seja suficiente.
Agora eu encaro a triste realidade de ter que me desapegar dessa ideia de tê-lo. E caros, isso dói.
É uma dor que me fere e dilacera a cada dia, dias que passam devagar... se arrastando. Eu simplesmente queria acordar e não sentir mais, ou nem acordar.
Costumo ser meio dramática com as coisas, mas o ano nem começou e ele tá perverso. Não sei bem como resolver isso dentro de mim, é a única coisa que eu não tenho ideia de como resolver.
Normalmente eu fujo como uma covarde, sim, eu não nego. Mas nesses negócios do coração eu não sei como agir.
Eu realmente queria que o "pra sempre" fosse nosso, do nosso jeito. Mas eu não estou nos seus planos. E dolorosamente eu me vejo sendo obrigada a te tirar dos meus. O quão justo é isso? NÃO É!
Eu tenho todo esse amor entranhado no peito pra nada? Provavelmente só me serve pra alimentar dor e um puta de um sofrimento.
Não posso comprar ao sofrimento que você deve ter passado, nem ao amor que você já sentiu um dia. Mas eu tô aqui hoje, pronta pra isso, pronta pra dar todo amor do mundo, mas isso tudo não te serve de nada.
Eu não tô pronta pra te deixar ir, pra viver longe de você, nem que pra isso eu tenha que engolir tudo e ser sua amiga.
Hoje eu só sinto dor, dor de não ser correspondida por um cara que só faz com que eu o ame cada dia mais.
Eu não aguento, tô enlouquecendo.

8 de out de 2012

Love is all, love is u.

Talvez esse tenha sido o dia que eu me apaixonei por você. Lembro do dia em que você me deixou ir sem um beijo, lembro do dia em que você me deu o primeiro beijo. Lembro de todo tesão, desespero de arrumar um tempinho só pra te abraçar. Lembro da mensagem às 5 da manhã, do primeiro "eu te amo".
Eu lembro que te odiava, depois não lembro mais de nada, só lembro que em tão pouco tempo eu já te amava tanto.
Lembro do nosso término, do choro, da vontade de ficar junto e da vontade de estar só. Lembro de você só querer ficar longe de mim, de não suportar a minha presença. Lembro também como isso tudo voltou, de como parece que nada tivesse acontecido e a gente só tinha esperado o tempo passar. Lembro como era tenebroso ficar longe de você, de como eu me sentia sem chão, sem amor, sem cor.
Agora você tá comigo, não sei fazendo bem o que, mas hoje eu já não sinto mais tanto medo. Eu já não sinto medo de ser a melhor pessoa do mundo pra mim e pra você. Você foi o primeiro cara que fez eu me sentir amada e que eu amo como se não conseguisse respirar. Você é o meu primeiro amor e eu realmente quero que seja o ultimo. Com você eu tenho paz, com você eu tô feliz e completa... pronta pra essa cidade, pronta pra qualquer coisa. Com você eu só sei amar.